Peninsula Valdés e Puerto Madryn: baleias e pinguins na Patagônia Argentina

A Península Valdés é a prova de que a Patagônia é muito mais do que só o Ushuaia! Vem ver como apenas 13h de carro separam Buenos Aires de milhares pinguins, baleias e outros animais incríveis que ocupam a Patagônia Argentina ao longo do ano.

Conheça Punta Tombo e outras reservas que abrigam milhões de pinguins e outras belezas naturais da Patagônia Argentina

Neste post, a gente vai te ajudar a montar seu roteiro pela Península Valdés, uma região maravilhosa da Patagônia Argentina, com dicas de passeios e atrações de Puerto Pirámides, Puerto Madryn e outros locais, como a maior colônia de pinguins de Magalhães fora da Antártida!


Vai para Buenos Aires e precisa de dicas sobre a cidade?
Confira nosso mini guia sobre Buenos Aires!


Península Valdés

A Península Valdés faz parte da Patagônia Argentina e, apesar de menos famosa do que as regiões mais próximas da Antártida, como o Ushuaia, também oferece paisagens deslumbrantes e encontros inesquecíveis com a natureza.

Em cidades que fazem parte da Península Valdés ou que estão à sua volta, como Puerto Madryn e Punta Tombo, você tem a oportunidade de ver baleias, pinguins (muitos pinguins) e diversos outros animais marinhos de muito perto, dependo da época do ano.

Entre setembro e abril, milhões de pinguins migram para a Península Valdés na Patagônia Argentina para se reproduzir

Melhor época para visitar a Península Valdés

Durante praticamente todo o ano é possível encontrar grandes grupos de animais marinhos migrando para a Patagônia Argentina para se reproduzir.

No entanto, entre o fim de setembro e o início de dezembro, você consegue ver praticamente todas as espécies que compõem a fauna da Península Valdés: pinguins, baleias, elefantes, lobos marinhos, guanacos etc.

Parentes dos camelos, os guanacos quase sempre andam em bandos, você pode vê-los correndo ao lado da estrada em alguns trechos do caminho para a Península Valdés

Veja abaixo o calendário completo para o avistamento de animais na Península Valdés.

 JanFevMarAbrMaiJunJulAgoSetOutNovDez
Baleia
Pinguim adulto
Pinguim filhote
Leão-marinho
Elefante-marinho
Orca
Tonina
Guanaco
Aves marinhas

Apesar de dezembro parecer um ótimo mês, já que todos os animais estão marcados no calendário, vale ressaltar que já é o fim da temporada das baleias e apenas o início da temporada das toninas, uma espécie de golfinho. Por isso, você pode acabar não vendo nenhuma dessas duas espécies.

O que fazer na Península Valdés

O grande destaque de toda a Patagônia é a natureza, e isso também vale para a região da Península Valdés, onde a fauna é o maior atrativo turístico. Veja como ter experiências impressionantes de observar animais em seu habitat natural, e de muito mais perto do que você imagina!

Observar a Baleia-franca-austral

Essa espécie de baleia migra das águas mais geladas da Antártida até a Patagônia em busca de águas mais tranquilas e condições mais favoráveis para se reproduzir com um parceiro ou para dar à luz e acompanhar os primeiros meses de vida dos seus filhotes.

Durante nosso passeio para ver baleias na Patagônia Atlântica, acompanhamos mãe e filhote nadando juntos
Mãe e filhote nadando juntos

Em geral, os passeios navegam pelo Golfo Nuevo (a cerca de 1h15 de Puerto Madryn) e duram entre 1h e 1h30, o que deixa muito tempo para você combinar o avistamento de baleias com alguma outra atividade, algo que muitas das agências de turismo da região oferecem, assim você consegue ter um dia inteiro de atividades.

No Golfo Nuevo da Península Valdés, perto de Puerto de Madryn, é possível ver baleias de muito perto
Deu pra perceber que a gente fica muito perto delas, né?

Nós navegamos com a Peke Sosa Avistajes durante o pacote Tour Peninsula Valdes Norte da agência Argentina Vision, e tivemos uma ótima experiência mesmo com o mau tempo. As baleias, principalmente os filhotes, adoram passar perto do barco e fazer jorrar água pelo respiradouro, além de praticar seus mergulhos.

Na Península Valdés, pudemos ver os filhotes de baleia ainda aprendendo seus movimentos

Este é o mapa das paradas que fizemos durante o tour, incluindo o centro de interpretação onde conhecemos melhor a reserva natural da Península Valdés, sua história e seus habitantes.

Ver meio milhão de pinguins (mas primeiro vamos almoçar)!

Depois do centro de interpretação e das baleias, seguimos viagem na van da Argentina Vision por cerca de 1h45 até a colônia de pinguins da Estancia San Lorenzo, onde também comemos um farto almoço.

Nosso almoço na Estancia San Lorenzo teve cordeiro, salada, omelete, empanadas e vinhos

A Estancia San Lorenzo tem uma das maiores colônias de pinguins da região e trabalha em conjunto com institutos de pesquisa ecológica para manter o habitat reprodutivo dos pinguins.

Pinguins se preparando para mergulhar ou voltando do mar na Península Valdés, na costa da Patagônia Atlântica

Os pinguins-de-magalhães voltam ao mesmo local todos os anos para se reproduzir, sendo que os machos chegam no início de setembro, algumas semanas antes da fêmeas, para preparar os ninhos.

No início de outubro, já é possível ver ovos em alguns dos ninhos, que serão chocados por cerca de 40 dias, até meados de novembro, quando começam a nascer os filhotes. Eles são alimentados pelos pais por cerca de dois meses e, em seguida, passam a também se aventurar no mar para buscar o próprio alimento.

Em outubro, é possível ver ovos de pinguins-de-magalhães em vários dos ninhos mantidos em conjunto por um casal da espécie
Dois segundos depois da foto, um dos pais já voltou correndo para cobrir os ovos.

Os pinguins-de-magalhães simplesmente ignoram tudo que não pareça uma ameaça imediata, por isso, é possível caminhar tranquilamente entre eles sem qualquer preocupação. No entanto, não tente chegar perto demais deles, dos ninhos ou dos filhotes e mantenha-se no caminho demarcado.

Mesmo nos caminhos feitos para nós, a preferência é sempre dos pinguins
Os pinguins não seguem qualquer regra e andam por onde querem.

Acompanhar a rotina dos elefantes-marinhos

Os elefantes-marinhos passam o ano todo na região, então sempre é possível ver a espécie nas praias ou nas águas próximas às suas colônias, chamadas de loberías.

Mães e filhotes de elefantes-marinhos descansam em um fim de tarde na Lobería Punta Norte, na Península Valdés
Fêmeas e filhotes de elefantes-marinhos.

Por serem uma espécie maior e mais agressiva, é possível apreciar os elefantes-marinhos apenas a uma distância razoável. Já seus primos menores, os leões-marinhos, são muito sociáveis e interagem amigavelmente com pessoas mergulhando.

Pode não parecer, mas os elefantes-marinhos, especialmente os machos, podem ser bem agressivos quando invadem seu território, por isso só podemos observá-los à distância
Bastam algumas semanas para que os elefantes-marinhos tenham que se virar sozinhos.

Nadar com leões-marinhos!

Existem tours disponíveis para mergulho ou snorkeling com os leões-marinhos nas águas de Punta Loma, seu habitat natural. Crianças a partir de seis anos já podem participar!

Como nosso tempo na Patagônia estava um pouco apertado e pegamos dias de chuva na região, não conseguimos mergulhar com os leões-marinhos. Mas tudo bem, temos um ótimo motivo para voltar logo a Puerto Madryn e à Península Valdés.

E já que começamos a falar do clima, vamos a algumas dicas que ajudarão você a aproveitar melhor sua viagem para a Patagônia.

Dicas para aproveitar ao máximo a Península Valdés

Em primeiro lugar, o clima pode ser um grande aliado ou um grande problema, por isso sugiro que você fique na região mais tempo do que o necessário para fazer todos os passeios em que estiver interessado.

Por exemplo, vai fazer três dias de passeios? Então fique pelo menos quatro dias na região. Dessa maneira, você tem alguma garantia de que vai conseguir fazer todas as suas atividades.

O Museu Paleontológico Egidio Feruglio de Trelew reúne material sobre as diversas descobertas sobre dinossauros na região da Patagônia

Com o tempo que sobra, você pode aproveitar outras atrações que não dependem tanto do clima, como o museu paleontológico de Trelew (a Patagônia é um grande sítio arqueológico de dinossauros) e as casas de chá de tradição galesa de Gaiman (os galeses foram os colonizadores da região).

Ou, ainda, se você der a sorte de pegar tempo bom todos os dias, pode seguir para Punta Tombo e ver mais um milhão de pinguins!

Punta Tombo: a maior colônia de pinguins fora da Antártida

Cerca de 400 mil casais de pinguins se reúnem todos os anos em Punta Tombo, outra reserva natural da Patagônia Atlântica, cerca de 3h ao sul de Puerto Madryn. Quando nascem os filhotes, o total de pinguins na área chega a um milhão!

Dois dos milhares de ninhos ocupados e protegidos em Punta Tombo, na Patagônia, a maior colônia de pinguins fora da Antártida

A visita em Punta Tombo é tão tranquila quanto a da Estância San Lorenzo, basta seguir o caminho demarcado, não se aproximar demais e dar sempre preferência aos pinguins. O calendário também é o mesmo, os pinguins migram em massa simultaneamente para todas as colônias da região.

A preferência nas reservas naturais da Península Valdés é dos pinguins, sempre

Além de ter uma colônia maior, o grande diferencial de Punta Tombo é o fato de se tratar de uma reserva natural pública, ou seja, você pode fazer o passeio por conta própria, sem a necessidade de contratar uma agência.

Pinguins e guanacos convivem tranquilamente na Península Valdés, Patagônia Atlântica

Punta Tombo fica mais perto de Trelew (2h de viagem) do que de Puerto Madryn (3h), então uma opção é se hospedar por uma noite na cidade para aproveitar Punta Tombo ao máximo.

A entrada na reserva natural custa 300 pesos (aproximadamente R$ 20) para crianças de 6 a 11 anos, a partir dos 12 anos todos pagam 550 pesos (pouco menos de R$ 40). Crianças até 5 anos não pagam.

Onde ficar na Península Valdés

Há basicamente três cidades/regiões para ficar quando visitar a Península Valdés:

  • Puerto Madryn: mais estrutura turística, mais opções de hospedagem e gastronomia, meio do caminho entre Puerto Pirámides e Trelew.
  • Trelew: mais ao sul, fica mais perto de Punta Tombo e outras atrações naturais.
  • Puerto Pirámides: mais ao leste, de lá sai a maioria dos passeios para avistar baleias.

Para fazer uma única base, a melhor opção é ficar em Puerto Madryn, tanto pela estrutura quanto pela localização central entre Trelew e Puerto Pirámides, assim todos os principais passeios ficam ao seu alcance.

Fizemos um post sobre o hotel Dazzler de Puerto Madryn, onde nos hospedamos por duas noites, sem dúvida um dos melhores da região. Outra excelente opção que costuma ter ótimos preços é o Hotel Tolosa.

Se você procura uma hospedagem ainda mais econômica em Puerto Madryn, confira o La Tosca Hostel. Veja também as várias outras opções de hospedagem da cidade neste link.

Como chegar em Puerto Madryn, porta de entrada da Península Valdés

Para ir de Buenos Aires até a Península Valdés, além do carro, você tem as seguintes opções, ambas para Puerto Madryn:

  • Ônibus: com as empresas Andesmar (Terminal Retiro) e Condor Estrella (Terminal Liniers). A viagem leva cerca de 17h.
  • Avião: a Andes Líneas Aéreas conecta o Aeroparque de Buenos Aires ao aeroporto de Puerto Madryn em cerca de 1h45.

Se você decidir alugar um carro em Buenos Aires e seguir para Puerto Madryn por conta própria, preste atenção ao escolher sua locadora, pois muitas delas limitam a quilometragem diária, o que tornaria muito cara uma viagem mais longa como essa. Escolha sempre opções com quilometragem livre.

A viagem leva de cerca de 13h, então convém fazer pelo menos uma parada no caminho. Até porque durante longos trechos não se vê nada no horizonte, nem à beira da estrada, além de vegetação rasteira e uma paisagem que passa horas sem muitas mudanças. Então, cuidado, o tédio pode dar sono!

Típica paisagem à beira da estrada durante boa parte da nossa viagem de carro até a Península Valdés

Também é bom sempre manter o tanque acima da metade, pois você vai encontrar longos trechos sem postos de gasolina.

Nós fizemos a viagem em três dias, tanto para irmos tranquilos quanto para conhecer algumas cidades e atrações do interior argentino, como a Playa las Conchillas e as cidades de Pigüé e Tandil (onde encontramos um novo alfajor favorito).

A Playa las Conchillas, em Río Negro, é quase que totalmente coberta por conchinhas, daí seu nome

É sempre bom prevenir qualquer problema, então não esqueça também do seu seguro-viagem (aqui você tem 5% de desconto)!

Nosso tour com a Argentina Vision e nossa hospedagem no Dazzler Puerto Madryn foram cedidos pelas empresas. No entanto, você pode ficar tranquilo, pois sempre publicaremos apenas nossa opinião pessoal, como deixamos claro na nossa política comercial.

Conheça as maravilhas naturais da Península Valdés e descubra Puerto Madryn, a melhor cidade para se hospedar na região Patagônia Atlântica, a seção norte da Patagônia ArgentinaMilhões de pinguins invadem a Península Valdés para se reproduzir todos os anos, veja essas simpáticas aves, baleias e muito mais na Patagônia Argentina

Hotel

O melhor preço e em qualquer lugar do mundo.

Seguro

São 5% de desconto ao comprar no blog e mais 5% no boleto.

Carro

Compare diversas locadoras e pague em até 10x.

Celular

Não dá mais para viajar para o exterior sem Internet, né?

3 comentários

Deixe um comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Batman 80 - Exposição celebra os 80 anos do homem-morcego

AGENDA SP: seu guia cultural de eventos em SP – janeiro 2020

Hot Pork: por 10 reais você completa seu cachorro-quente e monta um combo com batata frita e refresco

Hot Pork: o melhor cachorro-quente do centro tem preço justo!