O que fazer em Ouro Preto: atrações para incluir no seu roteiro!

Igreja de São Francisco de Assis.

Uma das mais importantes cidades históricas de Minas Gerais, Ouro Preto é de encher os olhos! Vem descobrir como existe muito o que fazer em Ouro Preto: desde a rica história vivida durante o ciclo do ouro, que podemos revisitar em muitas igrejas que abrigam obras da arte barroca da época, até a boa gastronomia presente em quase toda ladeira da cidade, além da natureza do entorno.

Igreja de São Francisco de Paula vista da Igreja de Nossa Senhora do Carmo em Ouro Preto
Igreja de São Francisco de Paula vista da Igreja de Nossa Senhora do Carmo em Ouro Preto.

O que fazer em Ouro Preto

Com essas dicas de passeios em Ouro Preto dá para montar um roteiro de viagem redondinho pela cidade histórica.

No índice abaixo, você encontra as atrações separadas por categoria (as opções gratuitas estão sinalizadas no post), assim pode ir direto ao que mais interessa, mas eu recomendo que você leia o post inteiro para descobrir que Ouro Preto pode reservar passeios que você nem esperava.

Certo, bora lá descobrir o que fazer em Ouro Preto!

Igrejas de Ouro Preto

Não tem como começar uma lista de o que fazer em Ouro Preto sem falar das igrejas da cidade. Como são muitas, várias com alguns séculos de história, fica difícil escolher quais visitar, então separei quatro igrejas em Ouro Preto para você visitar, todas bem diferentes entre si, com opções gratuitas e pagas.

Vale lembrar que é permitido tirar fotos usando o celular no interior de muitas das igrejas de Ouro Preto, mas não esqueça de desligar o flash.

Igreja de São Francisco de Assis

Obra importantíssima para o barroco brasileiro, com fachada desenhada por Aleijadinho que quebrou alguns padrões estéticos da época, como o recuo das torres em relação à fachada.

No entanto, a Igreja de São Francisco de Assis é considerada obra-prima da arquitetura colonial brasileira também pelo seu interior, com o teto pintado pelo mestre Ataíde, colaborador de Aleijadinho em diversos projetos.

O que fazer em Ouro Preto: Igreja de São Francisco de Assis
Igreja de São Francisco de Assis. Ao fundo, à esquerda, está de costas a Igreja de Nossa Senhora das Mercês e Perdões.

É muito fácil visitar a Igreja de São Francisco de Assis, já que ela está localizada no centro histórico de Ouro Preto, bem próxima a Praça Tiradentes e em frente a outra famosa atração da cidade: a feira de artesanato local em pedra-sabão.

O ingresso para entrar na Igreja de São Francisco de Assis dá direito também a conhecer o Museu de Aleijadinho, que fica no fundo da igreja e apresenta obras de diferentes momentos da sua carreira, e a Igreja de Nossa Senhora das Mercês e dos Perdões (a Mercês de Baixo), nossa próxima dica.

Largo de Coimbra, s/n, Centro.

R$ 10 (inteira), R$ 5 (meia-entrada).

Todos os dias, das 8h30 às 12h e das 13h30 às 17h.

Igreja de Nossa Senhora das Mercês e Perdões

Conhecida como Mercês de Baixo, a igreja foi reaberta recentemente depois de um longo período em obras de restauração e está em perfeitas condições.

O que fazer em Ouro Preto: Igreja de Nossa Senhora das Mercês e dos Perdões
Igreja de Nossa Senhora das Mercês e Perdões.

O apelido Mercês de Baixo surgiu para diferenciar esta da Igreja de Nossa Senhora das Mercês e da Misericórdia, a Mercês de Cima (por ficar na parte alta da cidade). As duas já chegaram a ter uma grande rivalidade por conta de datas festivas católicas.

Rua das Mercês, s/n, Centro.

É necessário comprar o ingresso na Igreja de São Francisco de Assis, que dá direito a entrada também na Mercês de Baixo.

Todos os dias, das 8h30 às 11h45 e das 13h30 às 16h45.

Basílica Menor de Nossa Senhora do Pilar

A Igreja Matriz de Nossa Senhora do Pilar recebeu o título de Basílica Menor em 2012, e o título mais pomposo condiz com seu interior repleto de madeira revestida de ouro em entalhes rebuscados.

O que fazer em Ouro Preto: Basílica Menor de Nossa Senhora do Pilar
Basílica Menor de Nossa Senhora do Pilar.

Por dentro, impressiona a diferença entre a Basílica Menor e as igrejas mais simples de Ouro Preto: não parece haver um único ponto sem decoração em madeira esculpida. Sua capela-mor é considerada a maior referência da talha dourada no Brasil.

Detalhes da Basílica Menor de Nossa Senhora do Pilar em Ouro Preto
Detalhes da Basílica Menor de Nossa Senhora do Pilar em Ouro Preto.

Para completar, abriga também o Museu de Arte Sacra de Ouro Preto.

Praça Monsenhor Castilho Barbosa, 17, Bairro Pilar.

R$ 8 (inteira), R$ 4 (meia).

De terça a domingo, das 9h às 10h45 e das 12h às 16h45.

Igreja Nossa Senhora do Rosário dos Homens Pretos

Erguida em 1716 pelos escravos que não podiam frequentar as missas dos brancos, a fachada circular da Igreja do Rosário é completamente diferente das outras igrejas da cidade.

O que fazer em Ouro Preto: Igreja de Nossa Senhora do Rosário
Igreja de Nossa Senhora do Rosário.

Por dentro, a Igreja do Rosário é incrivelmente simples e o contraste com a Basílica é gritante. Mesmo assim, de 1731 a 1733, durante a reconstrução da capela da Basílica (na época Igreja Matriz), a Igreja de Nossa Senhora do Rosário celebrou o Santíssimo Sacramento na cidade.

Largo do Rosário, s/n, Bairro do Rosário.

Entrada gratuita.

Todos os dias, das 12h30 às 16h30.

Outras igrejas de Ouro Preto para visitar

  • Igreja de Nossa Senhora do Carmo: fica ao lado do Museu da Inconfidência na Praça Tiradentes e abriga o Museu do Oratório.
  • Igreja Matriz de Santa Efigênia: reaberta em 2014 depois de seis anos de restauração, este ícone da cidade fica no alto da sinuosa Ladeira de Santa Efigênia (veja mais abaixo na foto da Casa de Tomás Antonio Gonzaga).
  • Igreja de São Francisco de Paula: a localização privilegiada torna este ponto um verdadeiro mirante da cidade.

Museus de Ouro Preto

Mas não é só de igrejas que vive o turismo em Ouro Preto. Museus únicos e inesperados também estão espalhados pela cidade.

Museu da Inconfidência

O mais famoso e visitado museu da cidade apresenta todo o contexto histórico, social e político da Inconfidência Mineira.

O que fazer em Ouro Preto: Museu da Inconfidência Mineira
Museu da Inconfidência Mineira.

Documentos importantes, móveis e utensílios da época colonial estão distribuídos em muitas salas (muitas mesmo, o museu é grande) do prédio que já foi a Casa de Câmara e cadeia de Vila Rica.

Praça Tiradentes, 139, Centro.

R$ 10 (inteira), R$ 5 (meia-entrada).

De terça a sexta, das 10h às 18h.

Antiga Escola de Minas: Museu de Ciência e Técnica da UFOP

Inaugurada ainda no século XIX, a Escola de Minas hoje faz parte da Universidade Federal de Ouro Preto, que a transformou em uma série de museus, como o de Mineralogia e o de História Natural.

A antiga Escola de Minas hoje abriga museus da UFOP, como o de Mineralogia
A antiga Escola de Minas hoje abriga museus da UFOP, como o de Mineralogia.

Na seção de mineralogia, estão expostos milhares de exemplares mineiras, de cobiçados diamantes a ilustres desconhecidos, como a rodocrosita, que mais parece um bacon mineral.

Praça Tiradentes, 20, Centro.

R$ 10 (inteira), R$ 5 (meia-entrada).

De terça a sexta, das 12h às 17h.

Museu da Farmácia

O antigo prédio da Escola de Pharmácia de Ouro Preto, fundada em 1839, também foi incorporado à UFOP e hoje abriga o Museu da Farmácia, com artefatos da época da inauguração, além de espécimes animais e botânicos.

Um museu diferente dos outros e só por isso já vale estar no seu roteiro de passeios para fazer em Ouro Preto.

Rua Costa Sena, 171, Centro.

Entrada gratuita, incluindo visitas guiadas.

De terça a sexta, das 13h às 17h. Não funciona em feriados.

Casa de Tomás Antônio Gonzaga

O poeta inconfidente símbolo do arcadismo brasileiro viveu nesta casa enquanto era ouvidor-geral de Vila Rica. Mais tarde, foi deportado para Moçambique devido ao seu envolvimento na Inconfidência.

A Igreja Matriz de Santa Ifigênia de Ouro Preto vista da sacada da Casa de Tomás Antonio Gonzaga
A famosa ladeira e a Igreja Matriz de Santa Efigênia vistas da sacada da Casa de Tomás Antonio Gonzaga.

Das janelas da casa, temos uma vista incrível da Igreja de São Francisco de Assis (em frente) e das Ladeira e Igreja de Santa Efigênia (à esquerda).

Rua Cláudio Manoel (também chamada de Rua do Ouvidor), 61, Centro.

Entrada gratuita.

De segunda a sexta das, 8h às 18h e sábado, domingo e feriado até 17h.

Casa dos Contos

Por sua longa relação com as finanças de Vila Rica, esta antiga casa (o maior exemplo de arquitetura barroca residencial de Minas Gerais) recebeu o nome de Casa dos Contos, muito antes de virar um museu da história financeira do Brasil.

A Casa também já foi uma fundição de moedas e hoje, além de exposições ligadas à história do dinheiro brasileiro, abriga o Centro de Estudos do Ciclo do Ouro e uma exposição sobre a escravidão na região.

Rua São José, 12, Centro.

Entrada gratuita.

De terça a sábado, das 10h às 17h. Domingos e feriados, das 10h às 15h.

Parques e mirantes para visitar em Ouro Preto

Aproveite um outro lado dessa cidade histórica e inclua um pouco de contato com a natureza e vistas da cidade do alto na sua lista de coisas para fazer em Ouro Preto.

Parque Municipal das Andorinhas

O nome completo é Parque Natural Municipal das Andorinhas, mas o nome pouco importa perto das belezas naturais do lugar. Aqui você encontra cachoeiras, trilhas, pontos de escalada, piscinas naturais e mirantes.

O que fazer em Ouro Preto: Parque Natural Municipal das Andorinhas
Parque Natural Municipal das Andorinhas.

O parque é enorme, mas há diversas trilhas fáceis e bem curtas que chegam em piscinas naturais com menos de 5 minutos de caminhada partindo do estacionamento.

Rua das Andorinhas, s/n, Morro São João.

Entrada gratuita.

O parque está sempre aberto, mas a direção não recomenda ficar no local após às 17h (ao anoitecer).

Mirante do Morro São Sebastião

Por ser uma cidade cheia de ladeiras, muitas ruas de Ouro Preto já se tornam mirantes (nesse momento, você percebe que subir valeu a pena), mas para uma vista panorâmica e maravilhosa da cidade, vá até o mirante do Morro São Sebastião.

Alguns dos pontos turísticos de Ouro Preto vistos do Mirante do Morro de São Sebastião
Alguns dos pontos turísticos de Ouro Preto vistos do Mirante do Morro de São Sebastião. Recomendo clicar na foto para ver maior.

É uma subida e tanto, então recomendo ir de carro (há três vagas para estacionar no local), mas se você tiver pique e quiser encarar, é possível ir a pé.

Ladeira João de Paiva, Ouro Preto.

Entrada gratuita.

Aberto 24h.

Outro parque em Ouro Preto

Se você tiver mais tempo na região, outra boa opção de parque com belezas naturais é o Parque Estadual do Itacolomi.

Onde comer em Ouro Preto

Uma lista de o que fazer em Ouro Preto não fica completa sem boas dicas de bares, cafeterias e restaurantes, né?

O Passo Pizza Jazz

O restaurante fica ao lado da Casa dos Contos, em um casarão com uma vista privilegiada de parte do centro histórico de Ouro Preto, então, se possível, pegue um lugar na varanda. Assim você aproveita a vista da cidade em um clima bem aconchegante e comendo bem.

A casa tem cardápio variado, mas é conhecida pelas pizzas e pelo almoço executivo de preço justo (R$ 38) com direito a salada e sobremesa.

Rua São José 56, Centro.

Todos os dias, das 12h à 0h.

Rena Cafeteria

Cafeteria em Ouro Preto que trabalha com produção própria de café e ainda oferece bolos, tortas e milk-shakes deliciosos. Vá!

Torta Holandesa da Rena Cafeteria em Ouro Preto
Torta Holandesa da Rena Cafeteria em Ouro Preto.

Rua Conde de Bobadela (Rua Direita),162, Centro.

Todos os dias, das 11h às 20h.

Café & Cia

Perdemos a hora do almoço em um dos nossos dias pela cidade e quando a fome bateu, o Café & Cia estava bem no nosso caminho. Normalmente, não sou muito fã de restaurantes por quilo depois das 14h, mas valeu muito a pena.

A comida do restaurante surpreendeu, tanto pelas opções quanto pela boa qualidade, mesmo já próximo ao final do atendimento.

Rua São José 187, Centro.

Todos os dias, das 11h às 15h.

Parada do Conde

Bistrô especialista em crepes, mas que também serve batatas recheadas (que mais parece um escondidinho, mas é uma delícia do mesmo jeito), petiscos e sopas, além de refeições no almoço.

Os crepes são servidos a partir das 16h30.

Rua Conde de Bobadela (Rua Direita), 135, Centro.

Aberto todos os dias, exceto no último domingo de cada mês. Aberto apenas para o almoço aos domingos. Nas quartas, abre às 16h30.


Outros lugares para comer em Ouro Preto: Tropea, Escadabaixo, Meu waffle, Dirceu Café Bar, Tenente Pimenta Rock Bar.

Minas de ouro

Uma cidade que viveu intensamente o ciclo do ouro deixa todo mundo curioso sobre como funcionava a mineração na época. Por isso, as minas, assim como as igrejas, estão entre os principais atrativos de Ouro Preto.

Eu já tive duas experiências com minas em Ouro Preto:

Mina de Chico Rei

A Mina de Chico Rei fica pertinho do centro de Ouro Preto e foi nossa escolhida nesta última viagem a cidade.

Só quando estávamos prestes a entrar na mina esclareceram que não havia visitas guiadas no sentido educativo da palavra (o guia oferecido apenas indicaria o caminho). Eu gostaria de ter um contexto histórico para complementar o passeio.

O que fazer em Ouro Preto: Mina de Chico Rei
Mina de Chico Rei.

Sendo assim, o passeio se resumiu à sensação física de entrar na mina e conhecer seus corredores e dois salões maiores. Acabei saindo frustrada.

Se você for visitar a Mina de Chico Rei, recomendo que verifique se haverá um guia educativo para não só acompanhar o caminho, mas contar a história e curiosidades sobre o local. Na verdade, essa recomendação vale para qualquer mina que você escolher visitar.

Rua Dom Silvério, 108, Antonio Dias.

R$ 25.

Todos os dias, das 8h às 17h.

Mina da Passagem

Fui na Mina da Passagem, a mais famosa da região, na minha primeira vez em Ouro Preto (há vários anos). Ela fica na verdade em Mariana, uma cidade histórica vizinha e é a mais cara entre as opções.

O diferencial da mina da Passagem é o carrinho de minério que desce até o subsolo da mina, além de caminhos mais amplos e até partes cobertas de água.

Rua do Comércio, 492, Mariana

R$ 88 (adultos), R$ 44 (6 a 12 anos). Entrada gratuita até 5 anos. Pagamento somente em dinheiro.

Todos os dias, das 9h às 17h.


Outras boas opções de minas em Ouro Preto com visitação: Mina Du Veloso e Mina Santa Rita.

Para aproveitar melhor Ouro Preto

Temos pensado cada vez mais em aproveitar melhor nossas viagens sem correr de uma cidade para outra tentando ver tudo o que é digno de nota o mais rapidamente possível, e Ouro Preto é perfeita para se ficar alguns dias. À primeira vista, muitos pensam que bastam algumas horas para se conhecer a essência da cidade e partir para a próxima cidade histórica da lista. Sabem de nada, inocentes.

A começar pelas opções de hospedagem incrivelmente diversificadas, Ouro Preto tem uma ótima estrutura para manter seus visitantes ocupados e muito confortáveis por vários dias. São igrejas, museus, ótimos restaurantes e cafés, parques, trilhas e cachoeiras espalhados pela mais importante cidade do ciclo do ouro do Brasil, hoje considerada patrimônio cultural da humanidade pela Unesco.

Ouro Preto é boa em qualquer época do ano. Se for possível, fique pelo menos 4 dias na cidade e curta todas as atrações com calma 😉

Salve a imagem no Pinterest para ver depois!

A famosa ladeira e a Igreja Matriz de Santa Efigênia são dois ícones de Ouro Preto

Já estive algumas vezes em Ouro Preto e sempre saio com vontade de voltar, e você? Vai pela primeira vez ou está querendo voltar?

Ah, e já sabe, né? Tem mais dicas de o que fazer em Ouro Preto? Compartilha nos comentários!

A Igreja de São Francisco de Paula fica cercada de verde com vista privilegiada para Ouro Preto

Hotel

O melhor preço e em qualquer lugar do mundo.

Seguro

São 5% de desconto ao comprar no blog e mais 5% no boleto.

Carro

Compare diversas locadoras e pague em até 10x.

Celular

Não dá mais para viajar para o exterior sem Internet, né?

12 comentários

Deixe um comentário
  1. Ouro Preto é um mergulho temporal. Sou apaixonada por lá e me corta o coração o descaso com o museu da República. Adorei que você visitou o parque, acabei perdendo essa oportunidade por lá. Mas vou com novas dicas.

    • O descaso com museus é quase generalizado, uma pena mesmo 🙁
      Por isso, a necessidade de se visitar os espaços, né?
      Quando voltar para Ouro Preto, visite o parque, vai adorar!

  2. Que coisa!!! Comecei a ler o post pensando que já conhecia Ouro Preto, e terminei pensando em voltar, por todos os cantinhos que ainda preciso explorar. Adorei e já salvei todas as dicas. Muito obrigada por nos dar tantos motivos para viajar mais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

O que fazer em Santiago - Quinta Normal

O que fazer em Santiago do Chile: dicas de passeios imperdíveis!

Agenda SP maio 2019 - Letizia Battaglia na exposição Palermo do IMS Paulista

AGENDA SP: seu guia cultural de eventos em SP – agosto 2019